quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Causas e Sintomas

Existem muitos fatores que podem desencadear em uma depressão. Vou usar um exemplo simples...
Uma pessoa que trabalha sem parar e está sempre preocupada, como consequência dessa rotina se torna irritada e esquece que o lazer é fundamental para o equilíbrio da saúde física e mental. Com toda essa agitação, que pode ser por estresse por causa das atividades, preocupação ou pensamento, deixa de produzir os hormônios do prazer. Com o tempo ela sente perder a graça nos pequenos momentos da vida, se torna sempre fatigada... A produção da endorfina, que causa o bem-estar natural, cai. O nome dessa alteração química no cérebro é chamada de depressão.

"Os fatores sociais, por outro lado, como a vulnerabilidade das classes sociais baixas, as relações interpessoais pobres, o desemprego, uma perda familiar importante ou um acontecimento traumático podem também estar na sua origem."

Cansaço, sensações e mais algumas anotações.

“O estresse intenso rouba do córtex cerebral uma energia que será usada nos órgãos da economia do
corpo, como a musculatura. O resultado desse roubo de energia é um cansaço físico exagerado e inexplicável. Grande parte das pessoas ansiosas, deprimidas ou que exercem trabalho intelectual intenso apresentam essa sintomatologia. Por se estressarem muito ao pensar, estão sempre roubando energia do cérebro, o que as deixa continuamente fatigadas, sem saber o motivo. Quando a fadiga é intensa, gera-se uma sonolência como recurso de defesa cerebral, pois ao dormir repomos a energia biopsíquica.”

“Imagine se neste momento você acreditasse convictamente que iria morrer após terminar de ler esta página. Não conseguiria terminar a leitura. Um turbilhão de ideias ligadas ao fim da existência, á solidão fatal, á perda dos íntimos passaria por sua mente. Além disso, o pavor da morte provocaria uma descarga no seu córtex cerebral, gerando diversos sintomas psicossomáticos, preparando-o para a fuga. É isso o que ocorre na mente das pessoas que sofrem ataques de pânico ou depressão. Ninguém morre por ter síndrome do pânico ou depressão, mas o sofrimento é muito maior do que o das pessoas que estão realmente enfartando ou sob risco real de morrer.”

“A dor da depressão pode ser considerada como o último estágio da dor humana. Ela é mais intensa do que a dor da fome, pois uma pessoa faminta tem o apetite preservado, e por isso revira até o lixo para comer e sobreviver, enquanto algumas pessoas deprimidas podem, mesmo diante de uma mesa farta, não ter apetite nem desejo de viver. Só compreende a dimensão da dor da depressão quem já passou por ela.”

“As causas que levam uma pessoa a ter um transtorno depressivo podem ser psíquicas, sociais ou genéticas.”

 Sintomas psicossomáticos: sintomas de dores físicas como dor de cabeça, cansaço, dor de estomago, etc.

Sintomas

Geralmente a pessoa pode apresentar dois ou mais dos seguintes sintomas:      
                     
Apatia
Falta de motivação
Medos que antes não existiam
Dificuldade de concentração
Perda ou aumento de apetite
Alto grau de pessimismo
Indecisão
Insegurança
Insônia
Falta de vontade em fazer atividades antes prazerosas
Sensação de vazio
Irritabilidade
Raciocínio mais lento
Esquecimento
Ansiedade
Angustia.

Além disso, o indivíduo pode apresentar alguns sintomas físicos que os médicos não conseguem encontrar causas aparentes, como:

Dores de barriga
Má digestão
Azia
Constipação
Flatulência
Tensão na nuca e nos ombros
Dores de cabeça
Dores no corpo
Pressão no peito

Entre outros...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget